Valdir Aguilera
 Físico e pesquisador

 

 

Almanaque - Edição 3 - março 2008

Físicos, matemáticos, engenheiros e quejandos

São muitas as histórias que se contam tendo Albert Einstein como protagonista. Quase todas são apócrifas. O que você acha destas?
  Certa ocasião Einstein estava esperando um ônibus em Princeton. Quando um deles se aproximava, não conseguindo ler a bandeira por haver esquecido os óculos no trabalho, perguntou à pessoa que estava ao lado:
– O senhor poderia dizer-me para onde vai esse ônibus?
– Sinto muito, senhor. Também sou analfabeto.
 
O famoso violinista Isaac Stern, durante algum tempo, foi vizinho de Einstein em Princeton, EUA. Quando este soube, manifestou o desejo de tocar violino com Stern, que, relutante, somente aceitou diante da grandiosidade e fama do cientista. No dia do duo violinístico, após algumas tentativas, Stern impacientemente baixou seu violino, dirigiu um olhar desesperado a Einstein e disse:
– Caramba, você não sabe contar? Um, dois, três, quatro, um, dois, três, quatro, um, ...
 

Noutra ocasião, deixou cair os óculos no chão e uma jovem os apanhou e entregou ao mestre.
– Muita gentileza sua, minha jovem. Qual é o seu nome? E ela respondeu:
– Irene, papai.

O sorriso

Alan Lightman (tradução de Valdir Aguilera)

Ele e ela estavam no desembarcadouro admirando o lago e as ondas sobre a água. Não tinham notado a presença um do outro.

O homem se vira e inicia-se uma seqüência de eventos que enviam-lhe informações sobre ela. A luz refletida do corpo dela entra instantaneamente na pupila dos olhos dele, na razão de dez trilhões de partículas de luz por segundo. Uma vez na pupila de cada olho, a luz passa através de lentes ovalóides, e depois, através de uma substância gelatinosa, transparente que enche o globo ocular, e finalmente aterriza na retina, onde é recolhida por cem milhões de células cuneiformes e cilíndricas.

Após cerca de trinta segundos – depois de várias centenas de trilhões de partículas de luz refletida terem penetrado nos olhos do homem e sido processadas –, a mulher diz "alô". Imediatamente, moléculas de ar são comprimidas, descomprimidas, novamente comprimidas, partindo de suas cordas vocais e viajando num movimento ondulatório até os ouvidos do homem. O som cobre a distância dela até ele (seis metros) em um cinqüenta avos de segundo.

Notícias do alô da mulher, em forma elétrica, disparam ao longo de neurônios do nervo auditivo e atingem, através do tálamo no cérebro do homem, uma região especializada do córtex cerebral, para continuar sendo processadas. Em seguida, uma grande parte dos trilhões de neurônios do cérebro do homem se envolve na computação dos dados visuais e auditivos que acabam de chegar. Conexões de sódio e potássio se abrem e se fecham. Correntes elétricas atravessam longas fibras neurônicas. Moléculas fluem da extremidade de um nervo para o seguinte.

Tudo isso é conhecido. O que não se sabe é por que, após cerca de um minuto, o homem se aproxima da mulher e sorri.

Problemas de lógica

Veja um esquema para resolver esse tipo de problema clicando AQUI. Use o esquema para resolver o problema proposto.

Carlos, Francisco, Mário e Sérgio são mecânico, executivo, dentista e professor, não necessariamente respectivamente. Seus salários são expressos em números inteiros de reais. Sabe-se, também que

1) o mecânico ganha o dobro do que ganha o professor; o executivo ganha o dobro do que ganha o mecânico; e, o dentista ganha o dobro do que ganha o executivo.
2) Carlos ganha menos do que Francisco, mas, Francisco não ganha o dobro do que Carlos ganha.
3) Sérgio ganha exatamente R$ 3.776,00 a mais do que Carlos.

Qual ‚ a profissão de cada um?

Resposta na próxima edição.

Resposta da edição anterior:

Alípio: 2 coelhos, 1 gato, 3 cães.
Dênis: 3 coelhos, 2 gatos, 1 cão.
Marina: 1 coelho, 3 gatos, 2 cães.

Não se confunda

Algumas palavras em inglês podem confundir-nos por sua semelhança com outra do vernáculo. Não se deixe enganar. Iremos mostrar algumas delas para prevenir os leitores interessados em inglês.

watermelon (uótermélon) s. Não é melão d'água, coisa que não existe, mas, sim, melancia.

fabric (fébrec) s. É mais usada para significar tecido, pano. Raramente tem o sentido de fábrica. Neste caso é preferível usar factory. Exemplo: She is wearing a dress made with exquisite fabric. Ela está usando um vestido feito com tecido fino.

exquisite (éksquêset) adj. Não significa esquisito, mas, sim, fino, delicado. Exemplo: Mary has an exquisite taste. Maria tem um fino paladar. John is an exquisite person. João é uma pessoa requintada.

exit (êczet) s. Não significa êxito, mas, sim, saída. Em países de fala inglesa é uma sinalização bastante comum para indicar a saída em lojas, supermercados, teatros, bibliotecas, ônibus, estradas, etc. A entrada é indicada com a palavra entrance.

push (puch) v. Não quer dizer puxar. Ao contrário, significa empurrar, apertar, pressionar. Em países de fala inglesa é comum ver a indicação push nas portas de estabelecimentos. A semelhança fonética com o nosso puxe geralmente nos confunde levando-nos a puxar a porta em vez de empurrá-la.

longe (lândge) s. Não quer dizer longe, mas, sim, rédea para orientar e treinar cavalos.

mica (máique) s. Não é a mulher do mico, mas, sim, o mineral mica, também conhecido como malacacheta.

Pérolas dos vestibulares

Coleção de respostas colhidas dos exames vestibulares para ingresso em universidades
(Os comentários jocosos, em itálico, são dos professores que corrigiram as provas.)

Esta seção, embora bem-humorada, serve, também, para denunciar a baixa qualidade de ensino em nosso país. Esses candidatos foram aprovados em todos os níveis pré-universitários em nossas escolas. Estariam, portanto, qualificados para inscrever-se em cursos superiores. Não são diretamente responsáveis pelas condições de instrução em que se encontram. Merecem, por isto, nosso respeito.

21. A diferença entre o Romantismo e o Realismo é que os românticos escrevem romances e os realistas nos mostram como está a situação do país. (É... e ainda faltam várias para corrigir...)

22. O Chile é um país muito alto e magro. (Confundiu o Chile com o nosso ex-Vice-Presidente, Marco Maciel.)

23. As múmias tinham um profundo conhecimento de anatomia. (Para mim, a mais "marcante" de todas.)

24. Na Grécia, a democracia funcionava muito bem porque os que não estavam de acordo se envenenavam. (Pensando bem, não é má idéia. O difícil é convencer as pessoas.)

25. A prosopopéia é o começo de uma epopéia. (E uma centopéia deve ser 100 epopéias.)

26. Os crustáceos fora d'água respiram como podem. (Coragem, faltam poucas prá comentar...)

27. As plantas se distinguem dos animais por só respirarem à noite. (Que perspicácia!)

28. Os hermafroditas humanos nascem unidos pelo corpo. (E, os xifópagos são indivíduos bi-sexuais...)

29. As glândulas salivares só trabalham quando a gente tem vontade de cuspir. (Bem, já que cheguei até aqui... vamos adiante!)

30. Os estuários e os deltas foram os primitivos habitantes da Mesopotâmia. (Que que é iiiiiiisso?!)

(Contribuição de Fernando Fidalgo)

Regrinhas simples para bem escrever

Como participante do grupo "Racionalismo" da Yahoo, temos oportunidade de receber muitos emails (o grupo tem hoje mais de mil inscritos). Entre os emails há alguns que poderiam ter sido mais bem escritos. Ocorreu-nos, então, sugerir algumas regrinhas que podem ajudar os interessados a melhorar sua redação.

Hoje vamos tratar de redundâncias, ou tautologias. Consistem na repetição de uma idéia, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido. Devem ser evitadas.

Exemplos de redundância:

- em duas metades iguais (basta dizer duas metades; se não forem iguais não serão metades.)
- subir para cima (gostaria de ver alguém subindo para baixo.)
- descer para baixo (ou descendo para cima.)
- há anos atrás ('há anos' já indica passado.)
- vereador da cidade (você já viu um vereador do estado, ou da união?)
- detalhes minuciosos (se não são minuciosos não são detalhes.)
- anexo junto à carta (você conseguiria anexar separadamente?)
- acabamento final (ou está acabado ou não está.)
- conviver junto (você pode imaginar duas pessoas convivendo separadamente?)
- fato real (se é um fato, somente pode ser real.)
- encarar de frente (só se tiver um olho na nuca para poder encarar de trás.)
- multidão de pessoas (gostaria de ver uma multidão de gatos.)
- amanhecer o dia (ou seria anoitecer a noite?)
- criação nova (se não é nova, não pode ser criação.)
- surpresa inesperada (se for esperada, não será surpresa.)
- empréstimo temporário (bem que muitos gostariam de um empréstimo permanente!)
- gritar bem alto (ou está gritando ou não está).

(Colaboração de Glaci Ribeiro da Silva)

Efemérides

03 mar 1845: Georg Ferdinand Ludwig Philipp Cantor
Matemático russo, nascido em São Petersburg. Fundador da teoria dos conjuntos. Introduziu o conceito de números transfinitos. Faleceu em Halle, Alemanha, em 6 de janeiro de 1918.

14 mar 1879: Albert Einstein
Físico alemão, nascido em Ulm. Considerado um dos gênios do século e mais conhecido pela sua Teoria da Relatividade Restrita. Criou também a Teoria da Relatividade Geral, ou mais apropriadamente, Teoria da Gravitação. Entretanto, o prêmio Nobel de Física que ganhou foi em razão da explicação que deu do efeito fotoelétrico e, genericamente, por seus trabalhos em Física Teórica. A partir de 1933, passou a residir em Princeton, Nova Jersey, onde trabalhou pelo resto de sua vida dedicando-se, principalmente, a encontrar uma teoria de unificação das leis físicas. Nunca aceitou a interpretação estatística da Mecânica Quântica. Neste sentido, é sua a famosa frase: Por acaso Deus joga dados? Quando visitou o Brasil, teria dito que é impossível citar os maiores físicos teóricos do mundo sem incluir Mario Schenberg. Faleceu em Princeton, em 18 de abril de 1955.

16 mar 1825: Camilo Castelo Branco
Escritor português, nascido em Lisboa. Foi uma das maiores figuras literárias de Portugal do século 19. Suas numerosas obras literárias incluem desde melodramas românticos até trabalhos que seguem a estética realista. Um dos maiores conhecedores do idioma português. Faleceu em Seide, em 1 de junho de 1890.

21 mar 1768: Jean-Baptiste-Joseph Fourier
Matemático francês, nascido em Auxerre. Também egiptologista. Teve grande influência no desenvolvimento da física matemática em conseqüência do seu livro Théorie Analytique de la Chaleur, publicado em 1822. Contribuiu significativamente para o desenvolvimento da teoria das funções de uma variável real. Faleceu em Paris, em 16 de maio de 1830.

23 mar 1749: Pierre-Simon de Laplace
Matemático, astrônomo e físico francês, nascido em Beaumont-en-Auge. Seus trabalhos mais notáveis foram sobre mecânica celeste e teoria analítica das probabilidades. Faleceu em Paris, em 5 de março de 1827.

23 mar 1882: (Amalie) Emmy Noether
Matemática alemã, nascida em Erlangen. Suas importantes contribuições para o desenvolvimento da Álgebra Superior conferiram-lhe o reconhecimento de algebrista mais criativa dos tempos modernos. Faleceu em Bryn Mawr, E.U.A., em 14 de abril de 1935.

27 mar 1845: Wilhelm Conrad Roentgen
Físico prussiano, nascido em Lennep. Por sua descoberta dos raios X, recebeu o primeiro prêmio Nobel de Física, em 1901. Faleceu em Munique, em 10 de fevereiro de 1923.

31 mar 1596: René Descartes
Matemático e filósofo francês, nascido em La Haye. Tem sido considerado o pai da filosofia moderna. Sua obra mais conhecida talvez seja o Discurso do Método, onde aparece a famosa afirmação Penso, logo existo. Faleceu em Estocolmo, em 1 de fevereiro de 1650.

31 mar 1906: Shin'ichiro Tomonaga
Físico japonês, nascido em Kyoto. Juntamente com Feynman e Schwinger, recebeu, em 1965, o prêmio Nobel de Física, pelos trabalhos que conduziram ao casamento (consistência) da Eletrodinâmica Quântica com a Teoria da Relatividade Restrita. Faleceu em Tokio, em 8 de julho de 1979.


 

Desta edição para o Almanaque

Copyright©2008 valdiraguilera.net. All Rights Reserved